7 Dicas Para Educar as Crianças

A pesquisa em desenvolvimento humano mostra claramente que as sementes da empatia, do carinho e da compaixão estão presentes desde o início da vida, mas que para se tornarem pessoas caridosas e éticas, as crianças precisam de adultos para ajudá-las em todas as fases da infância, muitas pessoas hoje está usando babá eletrônica para diminuir os custos de pagar uma babá doméstica, porém isso afasta a criança um pouco da vida humana.

Devemos trabalhar para cultivar a preocupação das crianças pelos outros, porque é fundamentalmente a   coisa certa a fazer, e também porque quando as crianças podem ter empatia e assumir a responsabilidade pelos outros, elas provavelmente serão mais felizes e mais bem-sucedidas.

Eles terão relacionamentos melhores a vida inteira e relacionamentos fortes são um ingrediente-chave da felicidade. No local de trabalho de hoje, o sucesso muitas vezes depende de colaborar efetivamente com os outros, e as crianças que são empáticas e socialmente conscientes também são melhores colaboradores.

Abaixo estão um conjunto de indicadores para criar filhos atenciosos, respeitosos e éticos, além de dicas para colocá-los em prática. Essas diretrizes são apoiadas por muitos estudos e pelo trabalho que nossas várias organizações realizaram ao longo de várias décadas com famílias em toda a América.

1. Trabalhe para desenvolver relacionamentos afetuosos e amorosos com seus filhos.

POR QUÊ?

As crianças aprendem a se importar e respeitar quando são tratadas dessa maneira. Quando nossos filhos se sentem amados, eles também se apegam a nós. Esse apego os torna mais receptivos aos nossos valores e ensinamentos. 

COMO?  

Amar nossos filhos assume muitas formas, como cuidar de suas necessidades físicas e emocionais, proporcionar um ambiente familiar estável e seguro, demonstrar afeição, respeitar suas personalidades individuais, ter um interesse genuíno em suas vidas, falar sobre as coisas que importam e afirmar suas esforços e realizações.

TENTE ESTE

  • Tempo regular juntos. Planeje um tempo regular e emocionalmente íntimo com seus filhos. Alguns pais e responsáveis ​​fazem isso através de leituras noturnas na hora de dormir ou outras atividades compartilhadas. Alguns constroem uma vez a cada vez com seus filhos em seus horários semanais ao invés de deixá-lo ao acaso. Você pode, por exemplo, passar uma tarde de sábado por mês com cada um de seus filhos fazendo algo que você goste.
  • Conversa significativa. Sempre que tiver tempo com o seu filho, revezem-se fazendo perguntas um ao outro que revelem seus pensamentos, sentimentos e experiências. Faça perguntas como:
    • “Qual foi a melhor parte do seu dia? A parte mais difícil?”
    • “O que você realizou hoje que você se sente bem?”
    • “O que há de bom alguém fez por você hoje? O que você fez de bom?
    • “O que você aprendeu hoje – na escola ou fora da escola?”

2. Seja um forte modelo moral e mentor.

POR QUÊ?

As crianças aprendem valores e comportamentos éticos observando nossas ações e as ações de outros adultos que elas respeitam. As crianças vão ouvir o nosso ensino quando andamos a conversa.

COMO?

Preste muita atenção se você está praticando honestidade, justiça, e se importando e modelando habilidades como resolver conflitos pacificamente e administrar a raiva e outras emoções difíceis de forma eficaz. Mas ninguém é perfeito o tempo todo. É por isso que é importante para nós, de fato, modelar para as crianças a humildade, a autoconsciência e a honestidade, reconhecendo e trabalhando em nossos erros e falhas. Também é importante para nós reconhecermos o que pode estar atrapalhando nosso próprio cuidado. Estamos, por exemplo, esgotados ou estressados? Nosso filho aperta nossos botões de uma maneira específica que faz com que ele ou ela seja cuidadoso às vezes? E lembre-se, as crianças só querem se tornar como nós se confiam e nos respeitam. Os adultos podem refletir se nossos filhos nos respeitam e, se achamos que não, consideram o motivo e como podemos reparar o relacionamento.

TENTE ESTE

  • Serviço. Envolva-se regularmente em serviços comunitários ou modele outras formas de contribuir para uma comunidade. Melhor ainda, considere fazer isso com seu filho.
  • Honestidade e humildade. Converse com seu filho quando você cometer um erro que o afete sobre o porquê você acha que o fez, peça desculpas pelo erro e explique como você planeja evitar cometer o erro da próxima vez.
  • Check-in com outras pessoas. Reflita e consulte as pessoas em quem confia, quando estiver achando difícil ser atencioso ou modelar qualidades éticas importantes como a justiça.
  • Se cuida. Seja passando tempo com um amigo, dando um passeio, orando ou meditando, tente reservar um tempo para aliviar o estresse, porque é importante para você e porque lhe permitirá ficar mais atento e se importar com os outros.

3. Torne os cuidados com os outros uma prioridade e estabeleça altas expectativas éticas.

POR QUÊ?

É muito importante que as crianças ouçam de seus pais e cuidadores que se preocupar com os outros é uma prioridade e que é tão importante quanto a sua própria felicidade. Mesmo que a maioria dos pais e cuidadores diga que seus filhos estão sendo cuidadosos é uma prioridade, muitas vezes as crianças não estão ouvindo essa mensagem.

COMO?

Uma grande parte de priorizar o cuidado é manter crianças com altas expectativas éticas, como honrar seus compromissos, fazer a coisa certa mesmo quando é difícil, defender princípios importantes de justiça e justiça e insistir que são respeitosas, mesmo que isso os torna infelizes e até mesmo se seus colegas ou outros não estão se comportando dessa maneira. 

TENTE ESTE

  • Uma mensagem clara. Considere as mensagens diárias que você envia para as crianças sobre a importância do cuidado. Por exemplo, em vez de dizer às crianças “O mais importante é que você está feliz”, você pode dizer: “O mais importante é que você é  gentil  e está feliz”.
  • Priorize o cuidado quando conversar com outros adultos importantes na vida de seus filhos. Por exemplo, pergunte aos professores e treinadores se seus filhos são bons membros da comunidade, além de perguntar sobre suas habilidades acadêmicas, notas ou desempenho.
  • Incentive as crianças a “resolverem isso”. Antes de deixar seu filho sair de uma equipe esportiva, banda ou amizade, peça-lhes que considerem suas obrigações para com o grupo ou o amigo e incentive-os a resolver problemas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *